Por que transformar um livro em Áudio? E o que isso tem a ver com Desenvolvimento Social, inclusão e erradicação da pobreza?

No processo de escrever e editar o livro “Mochila Social: um olhar sobre desenvolvimento social e pobreza no leste da África” de forma independente, acabei aprendendo muito sobre o processo e o mercado editorial. Porém, mais do que isso, aprendi sobre a importância de se compartilhar experiências, reais ou ficcionais, como forma de ampliar o alcance da imaginação de outras pessoas. E foi em um destes momentos de aprendizado que descobri a importância de um audiolivro.

Em abril de 2011, me inscrevi em um curso chamado “Do rascunho na gaveta ao primeiro livro”. Apesar do título convidativo, eu participei muito mais por curiosidade e pela possibilidade de aprender algo de valor para o processo de produção de dois livros em que estava trabalhando do que qualquer outra coisa. Discutíamos literatura, os caminhos que um rascunho percorre até virar um texto, para depois virar um livro e, quem sabe, um dia chegar às mãos de mais do que alguns familiares e amigos.

Dentro do pequeno grupo, uma importante contribuição. Uma senhora de mais idade nos acompanhava nas discussões, comentava suas preferências e nos alertava: deficientes visuais tem uma grande paixão por histórias que os permitam viajar e imaginar um mundo mais complexo dentro de si próprios, mas a escassez de materiais adaptados limita o que pode ou não ser imaginado. Fiquei com isso na cabeça.

Desde que operei meu joelho em 2008 (pela primeira vez, já que foram três cirurgias desde então) fiquei mais atento e sensível às dificuldades de locomoção impostas pelas nossas calçadas e ruas pouco convidativas. Andar de muletas em ambientes públicos é assustador. Sem muletas ou qualquer sinalização de que há em mim algum tipo de sensibilidade exacerbada é ainda mais desafiador e aterrorizante. Antes, não era “um problema meu”, mas mesmo depois de voltar a caminhar perfeitamente, ainda enxergo o que se passa na frente dos meus pés com atenção e preocupação.  Pego emprestado uma fala do escritor Mia Couto, no livro Se Obama Fosse Africano: “é fácil (embora se vá tornando raro) ser-se solidário com os outros. Difícil é sermos os outros. Nem que seja por um instante, nem que seja de visita”.

O mesmo acontece com a vontade de compartilhar uma experiência para que mais pessoas possam se inspirar a fazer o que lhes cabe. Desde o início do processo de produção deste livro, acreditei na importância de transformar esta experiência em algo que valesse a pena ser compartilhado, imaginado e reorganizado de forma única e individual para o leitor. Assim, fiz questão de produzir um audiolivro para que pessoas com deficiência visual, problemas de visão ou mesmo relacionados com a capacidade de leitura pudessem ter acesso a arquivos de áudio que lhes permitisse imaginar uma outra realidade.

O limite entre a história contada e uma ficção bem elaborada, de um mundo difícil de acreditar que exista, mas mesmo assim verossímil, é apenas o que podemos imaginar. E então, como podemos decidir excluir ou privar àqueles que mais podem se beneficiar de um momento de abstração e reflexão sobre uma outra realidade, um outro lugar? Dentro do projeto Mochila Social, os custos de produção de um material como esse são ínfimos se comparados com os benefícios que a inclusão pode trazer à discussão sobre desenvolvimento social e pobreza.

Inclusão, para mim, é garantir que o diferente é tratado como diferente quando necessário. Assumir que determinadas situações exigem ações unilaterais de inclusão, seja ela social, financeira ou política, dada a situação em que algumas pessoas se encontram e, de fato, poderiam se beneficiar de algum tipo de ajuda externa. Para isso, só estando com os ouvidos mais abertos do que a boca para entender quais são as ações que podemos fazer para contribuir com a situação do outro.

O audiolivro é gratuito para quem tem necessidades especiais e tem valor sugerido de R$10,00 para quem mais quiser o material e ainda contribuir com o projeto. Para baixar o arquivo, basta acessar o www.mochilasocial.com e entrar em contato. Lá você pode ouvir gratuitamente a introdução do audiolivro “Mochila Social: um olhar sobre desenvolvimento social e pobreza no leste da África”.

Anúncios

1 comentário a “Por que transformar um livro em Áudio? E o que isso tem a ver com Desenvolvimento Social, inclusão e erradicação da pobreza?”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s