O rato roeu a roupa da minha encomenda

É sábado de manhã, meu último dia morando em Hyderabad. A partir de então, sigo viagem pela Índia, primeiro de férias, explorando um pouco do que o país tem a oferecer de paisagens e experiências.  Antes de deixar minha cidade, decido mandar algumas coisas de volta para o Brasil. Já conheço um pouco dos serviços dos correios por aqui e sei da importância de me preparar antes de começar a saga de enviar um pacote para qualquer lugar.

Escolho cuidadosamente uma caixa que não seja pequena, mas ao mesmo tempo não seja grande o suficiente para assustar o atendente dos correios (pois é, se alguma coisa foge ao que ele esta acostumado, problema para mim). Kingfisher. Em uma caixa da cerveja mais famosa da Índia embalo meus pertences com fita parda. Com a caixa colorida e selada em mãos, saio à rua em busca de um rickshaw capaz de me transportar até o correio por um preço justo.

Nem 10 minutos depois, apresento a minha caixa ao atendente dos correios e recebo a seguinte informação: “você tem que ir até um alfaiate”. Alfaiate? Pergunto eu. Com uma série de gestos entendo que o alfaiate do outro lado da rua é a melhor pessoa para selar esta caixa do jeito que os correios querem. Atravesso a rua carregando meu pacote e de longe já enxergo um sorriso no rosto do homem de dentes espaçados e bigode bem cortado.

Por 120 rúpias (mais ou menos R$5,00) ele vai elaborar uma roupagem branca adequada à ocasião. Afinal, não é todo dia que uma caixa dessas se prepara para viajar por 15 dias para o Brasil. Enquanto espero o estilista desenhar o melhor modelo para minha encomenda, aproveito para ir buscar um pacote que me aguardava nos correios vindo do sentido oposto.

Mais de um mês e meio depois de ter sido enviado, este pacote chega as minhas mãos com um bilhete dos correios de Mumbai. Vou resumir o que a carta dizia: “Caro destinatário, a sua caixa ficou tanto tempo presa na burocracia que alguns ratos resolveram tirar proveito da situação e roer grande parte do pacote”. Enfim, o conteúdo estava intacto, mas a caixa veio toda aberta e roída. Coisas da Índia.

Enquanto avalio o conteúdo do que recebi – mais uma vez repleto de Toddy por todo lado, mas com o poder de me abrir mais do que um sorriso – vou ao meu alfaiate preferido retirar a noiva, quase pronta para viajar. Com o novo pacote encoberto por um pano branco costurado sob medida, o atendente finalmente aceita meu pedido de envio. Escrevo meu endereço no pano branco, identifico mais ou menos o que estou mandando e pronto. Agora só me resta desejar boa sorte a minha menina, toda arrumada para a viagem.

 

Anúncios

7 comentários a “O rato roeu a roupa da minha encomenda”

  1. Parabéns pelo relato: enxuto, claro, atraente ao leitor. Mais uma revelação da cultura indiana de forma bem humorada e respeitosa.
    Um abraço e boa viagem.

    Gostar

  2. Olá,
    Também estou em Hyderabad e preciso enviar algumas coisas p/ o Brasil.
    Uma pergunta: É confiavel enviar coisas de valor ? Ex.: COlares, brincos etc.. ?
    Qnto vc pagou pelo serviço do correio?
    Obrigada!

    Gostar

    1. Oi Fernanda, tudo bom?
      Eu mandei uma caixa para o Brasil com coisas desse tipo (colar e brindo – as famosas perolas de Hyderabad…hehe) e chegou tudo em ordem na minha casa no Brasil. Apesar de ter demorado quase dois meses.
      Se eu não me engano, paguei algo em torno de 1600 rúpias para uma caixa de uns 30x30x30 (mais 120 rupias para um alfaiate “vestir” a minha caixa em uma capa branca)
      Fiz tudo isso do correio de Begumpet.
      Um beijo!

      Gostar

  3. Olá! Obrigada pelo retorno!
    Eu e meu marido ficaremos aqui em Hyderabad por 6 meses, alocados em um projeto de uma empresa na área de TI.
    Vamos tentar enviar algumas coisas ao Brasil (as perolas e algumas roupas!) Espero que dê tudo certo! Vc sabe me informar se existe limite de valor das mercadorias? Por exemplo, enviar mercadorias com valor de até 500 dolares? Precisa colocar as notas nas caixas? (caso pare na alfandega)… ?? Obrigada!

    Gostar

    1. Olá,
      Não sei informar sobre limite de valor, mas sei dizer que o processo – pelo menos do lado indiano – é bem sem processo. Não coloquei as notas na caixa e ninguém checou o que eu estava enviando. Eu mesmo escrevi o conteúdo da encomenda a caneta do lado de fora da caixa e eles enviaram. Vale a pena se informar com o correio brasileiro, porque o indiano não vai saber informar sobre o Brasil (o Brasil nem estava no sistema quando eu enviei minha encomenda).
      Um abraço e boa sorte!

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s