Cozinhando com as técnicas do inimigo

Eu não sou fã de comida indiana. Pronto. Não gosto. Não gosto do gosto, do cheiro e nem mesmo da aparência. Para mim, isso tudo não se parece com comida. E tudo bem. Vou aprendendo aos poucos a encontrar um ou outro item do cardápio que consiga superar o momento social de “apreciar” uma bela refeição indiana.

O maior problema por aqui é que comer é de fato uma importante parte da cultura  e, não comer, uma verdadeira ofensa. Assim, todas as vezes que tenho que comer fora ou no escritório, acabo pedindo as mesmas opções e entro em um ciclo de gostar cada vez menos de tudo isso.

Mas a verdade é que a culpa não é da Índia. Quem me conhece sabe que eu sou seletivo com comida em qualquer lugar (não gosto da palavra fresco e não acho que seja frescura). Considerando que mais de um bilhão de pessoas  diariamente botam toda essa comida goela abaixo, entendo que talvez seja eu quem esteja indo na contra-corrente por aqui.

Lembrando que a comida normalmente é apreciada diretamente com as mãos, sem a intermediação de talheres, há basicamente dois tipos diferentes de refeição: com pão ou com arroz. Claro, não é exatamente pão, é chamado de Roti e envolve certa diversidade de  acompanhamentos para ajudar a levar o curry pra dentro do seu sistema (os mais gostosos são Chapati, Naan e Paratha, variando na farinha e no método de preparo). O arroz é mais tradicional no Sul do país e não ajuda em nada na tarefa de juntar a comida com as mãos e levá-la à boca.

Aprendendo a cozinhar, fui descobrindo exatamente quais são os pontos fracos e fortes dessa culinária para mim. A ideia era aprender a fazer dois pratos bastante tradicionais, um vegetariano e um frango. Aloo Gobi é um prato que mescla batata e couve-flor com uma porção de temperos (já que Aloo = batata e Gobi = couve-flor). Já o frango seria feito em um molho de espinafre e recebe o nome de Palak Murgh.

Até ai, tudo bem. Afinal, eu adoro batata, couve-flor, frango e tenho a habilidade de comer um molho de espinafre. Mas é ai que entr a transformação de cores, cheiros e temperos que vão modificando a matéria-prima em comida indiana. Já na água fervente o chef deposita um pó amarelo e, como num passe de mágica, a água pura vira curry (claro que não pude deixar de relembrar a primeira das dez pragas no Egito).

A partir dai, o Aloo e o Gobi tinham seus destinos traçados. Bastou um mergulho. Passaram de vegetais fresquinhos e deliciosos para o mundo da comida indiana. Em seguida, unidos na mesma panela foram bombardeados com um pó vermelho e um aviso: spicy. Mas a cozinha indiana não se contenta com um nível tolerável de pimenta, e poucos segundos depois 6 pedaços de chilli verde estavam nadando e apimentando a mistura.

Enquanto isso, do outro lado da cozinha o frango é colorido com o perigoso pó vermelho e o espinafre é aniquilado em um liquidificador para mudar de estado. Líquido, vai para a panela e sofre os mesmos ataques que nossos colegas Aloo e Gobi foram vítimas. Para diminuir a pimenta, um pouco de creme feito de derivados de leite.

O chef tem um jeito meio mandão e gosta de reafirmar que ele esta no controle da situação. É um comportamento que já vi se repetir diversas vezes por aqui. Há um certo prazer pela liderança, mesmo que esta não seja das mais eficientes. Dessa forma, tendo que controlar duas equipes em dois ambientes diferentes, o chef quase ficou louco e terminou a sessão completamente sujo e colorido.

Ambos os pratos estão quase prontos. O cheiro da cozinha já me faz querer voltar à minha casa, onde tenho total controle sobre cada um dos ingredientes e capricho na simplicidade. Uma porção de cada prato é servida em um pequeno pote metálico. O toque final é o que me mata: uma plantinha verde da qual tenho quase certeza que sou alérgico, devido a sensação tão desagradável que me causa a cada ingestão.

Em breve coloco um video sobre como foi a aula de culinária e também as receitas…

Anúncios

4 thoughts on “Cozinhando com as técnicas do inimigo”

  1. Alex, sua mãe deve estar tendo ataques!!! Mãe-judia + filho-infeliz-com-a-comida = mãe desesperada!!! Arruma umas bolachas pra equilibrar tanto desGOSTO. By the way, eu ODEIO curry e já percebi que a Índia vai ser um destino problemático pra eu conhecer…
    Se cuida, bjs

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s